sexta-feira, 1 de outubro de 2010

"É muito doce a gente se sentir fraco e pecador" - (Sta Teresinha)

Santa Teresinha, amo essa santinha, sua história de vida é linda, muito temos a aprender com ela, a humildade, a fé nesse Cristo que sempre está conosco, a coragem de enfrentar e lutar por aquilo que queremos, a resignação no sofrimento, o amor pela oração, pelo sagrado, o amor missionário sem sair do convento, a valorização das pequenas coisas que feitas com amor, vale muito, atinge a muitos.
01 de outubro, dia de Santa Teresinha; outubro, mês de nossa Senhora Aparecida, mês de nossas queridas crianças, mês missionário e nesse ano, mês de colocarmos no poder pessoas que infelizmente não conhecemos direito, algumas que mais parecem satanás e conseguem ludibriar pessoas que não tem opinião própria e se deixam ser comprados por isso e por aquilo.
Ontem, a noite, conversando com uma catequista, falávamos sobre política, confesso que política e futebol, não são assuntos que discuto com desenvoltura, mas sentimos no ar o cheiro fétido dessa política e cheguei a seguinte conclusão: "Como Jesus decidia por grandes coisas? Se colocando em oração. Como o mal era vencido? Com muita oração. Como que cidades inteiras eram libertas da ira divina? Com oração e JEJUM.
E nós diante de uma decisão tão importante para nossa Pátria, o que fazemos? Somos cristãos de meia tigela, rezamos a missa aos domingos, respondemos às preces e às vezes, ficamos nisso.
Já pensou se uma multidão se colocassem  em Jejum em favor dessa eleição, teríamos uma grande chance de votarmos com discernimento.
Peço, com toda minha devoção à Santa Teresinha que leve essa intenção à Jesus, que recebam o poder de presidir, de governar, de lutar por  leis dignas, pessoas do bem. Que todos, os que fazem da política uma escada para massacrar o povo e enriquecer, que sejam colocados debaixo dos pés de Maria e de São Miguel. Esses, tem o poder de esmagar a cabeça da serpente.
Reze, peça ao Espírito Santo que te conduza, te oriente e guie seus dedos e antes de tudo seu coração na hora de CONFIRMAR seu voto.
Santa Teresinha do Menino Jesus, sei que és a Santa das pequenas causas, mas hoje vos colocamos uma ENORME causa, interceda por nós! Que unam todas as forças celestes, intercendo nessa mesma intenção. Não sei se no céu existem assembléias para se tomar decisões importantes, se existir, imagino que já estejam convocando todos os santos para que juntos possam enviar raios de luz para o povo Brasileiro.
Agora, se nós daqui da terra, não elevarmos nossos olhos e pensamentos aos céus! !!!aiaiaiaiiaiaiai

"Ó Deus, que preparais o vosso Reino para os pequenos e humildes, dai-nos seguir confiantes o caminho de santa Teresinha, para que, por sua intercessão, nos seja revelada a vossa Glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo."

Abaixo coloco uma reflexão de Frei Beto, o post fico imenso, mas todo catequista precisa exercitar a leitura...

Reflexões de um eleitor indignado

Miro a propaganda eleitoral na TV, ouço-a no rádio. E me pergunto: em que galáxia habito? Fico a me perguntar se o desfile mórbido de candidatos difere muito da apresentação dos gladiadores prestes a disputar o direito à vida no Coliseu de Roma.

São tantas besteiras, tantas promessas inconsistentes, tantas ofensas à língua pátria, que chego a preferir um passeio pelo zoológico, onde se pode apreciar, de jaula em jaula, a variedade do animais, sem o incômodo de escutar tanta bobagem.
Claro que incontáveis aparelhos de TV e rádio desligados no horário eleitoral significam um recado óbvio: reforma política já! Como não virá imediatamente, tudo indica que, de novo, a partir de 2011 veremos a nossa representação política – nas Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados e no Senado – integrada por figuras respeitáveis, competentes, éticas, ombro a ombro com o besteirol: políticos eleitos, não pelo que representam como promotores do bem comum, e sim pela fama na mídia, no esporte, na esbórnia, na exuberância das nádegas e no escracho geral.

Pobre Brasil! A culpa é de quem? Do eleitor? Discordo. A culpa é dos partidos que aceitam filiações irresponsáveis, funcionam como legenda de aluguel, abrem as portas aos arrecadadores de votos, meros candidatos-iscas para robustecer a bancada partidária no Poder Legislativo. Não importa se o eleito não fala lé com cré. Importa é ter amealhado votos em quantidade.

Isso revela algo muito grave: os partidos cada vez menos representam uma parte ou segmento da sociedade. Representam a si mesmos. Viraram clubes políticos destinados a beneficiar seus sócios. Vivem descolados da base social, gabam-se de não ter ideologia, apenas interesses e, em tudo que fazem, buscam, em primeiro lugar, reforçar o próprio poder. E funcionam na base da ação entre amigos, pois quem se elege trata de nomear quem não se elegeu para um cargo público bem remunerado.

O Brasil precisa, sim, urgentemente, de uma reforma de seu sistema político. Não basta mudar as regras do jogo. Faz-se necessário modificar a atual cultura política, fundada no compadrio e nepotismo (como pode uma ministra incorporar familiares na máquina do governo?), no tráfico de influências, no uso dos recursos do Estado para benefício próprio.

Quem se faz representar em nosso poder legislativo? A elite, o agronegócio, os lobbies de armas e bebidas alcoólicas, da devastação da Amazônia e da abertura irresponsável do país ao capital estrangeiro. Esta é a minoria da população, poderosa, mas minoria.

Quem representa os sem terra e os sem teto? Quem representa os que padecem a falta de saúde e educação? Quem representa os povos indígenas, as pessoas com necessidades especiais, os jovens e idosos? Quem representa os movimentos populares?

Introduzir uma nova cultura política é criar mecanismos de controle civil do poder público, de modo a inibir a corrupção, punir os que agem ao arrepio das leis e combater tudo isso que, na estrutura socioeconômica brasileira, favorece e fortalece diferentes formas de desigualdades.

A revogabilidade de mandatos, mormente em casos de corrupção comprovada, deveria figurar como princípio pétreo em nosso sistema político. Por que permitir que uma mesma pessoa possa, indefinidamente, candidatar-se, perpetuando-se na política? Ninguém deveria ter o direito a mais de dois mandatos sucessivos na mesma função.

Para avançar rumo à democracia participativa, o Brasil precisa reformular seu sistema de comunicação, de modo a possibilitar o acesso dos setores populares à livre expressão; promover plebiscitos e consultas populares; adotar o financiamento público de campanhas eleitorais; criar mecanismos de controle social das políticas econômicas e do orçamento. Por que não há representação sindical na direção do Banco Central?

Como falar em democracia se, em plena campanha presidencial, apenas quatro candidatos têm direito a participar dos debates na TV? E os demais? Foram legal e legitimamente indicados por seus partidos. Não importa que sejam partidos nanicos. Uma democracia não se faz sem isonomia. O eleitor tem o direito de conhecer as propostas de todos que são oficialmente candidatos a funções executivas.

Desde o fim da ditadura, em 1985, a democracia se aprimorou muito no Brasil. Contudo, não se julga um país pela perfeição de suas leis, e sim pela aplicação dessas mesmas leis. A aprovação da Ficha Limpa demonstra que a sociedade civil organizada e mobilizada pode mais do que ela mesma crê. É hora de não apenas ouvir o que têm a propor os candidatos, mas de os movimentos sociais e congêneres apresentarem a eles suas propostas e sugestões.
Autoridade é o povo, de quem os políticos são meros servidores.
Frei Betto

4 comentários:

  1. Gosto muito de entrar no seu blog.
    me identifico muito com as coisas que escreve.
    Deus te ilumine sempre!
    um beijinho e um abençoado final de semana...

    ResponderExcluir
  2. Sheila, Identificação recíproca. Por que amo seu blog.É muito útil para a formação do catequista. Continue firme, garota!!

    Pra vc tb um abençoadp final de semana!!

    ResponderExcluir
  3. Imaculada,
    Gostei muito deste comentário do Frei Beto, e gostei mais de que você o publicou no seu blog, precisamos informar e conscientizar os catequistas.
    Beijos
    Renata Daniel

    ResponderExcluir
  4. Glícia souto Pimenta4 de outubro de 2010 17:28

    Belo comentário de Frei Betto. Precisamos mesmo ler textos desse nível para termos uma visão mais ampla da nossa política. Parabéns pela publicação.
    Abraço,
    Glícia - Passos/MG

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito importante!
Não conseguiu comentar?? Calma, não saia ainda, escolha e opção ANÔNIMO e não esqueça de se identificar no final de sua mensagem!
Viu só, que fácil! Volte sempre!