terça-feira, 30 de outubro de 2012

Teatro de Natal - O boi e o burro a caminho de Belém!


Gente amada, não adianta espernear, porque mais um ano está chegando ao seu final... Num piscar de olhos, entra Novembro e já é Natal... E como toda festa gera uma preparação, já é tempo de começar a ensaiar as peças teatrais de Natal. Tem já uns sete anos, fizemos essa peça na preparação com as crianças e achei bem legal, porque fugiu um pouquinho daquela coisa tradicional. Só que sumi com a peça e agora que minha companheira de guerra(Angela Rita) encontrou, vamos ensaiar para apresentar nesse ano. Fiz e recomendo! Vamos lá, escolha os atores e mãos à obra moçada!! Fazer a retratação do ambiente onde Jesus nasceu é muito importante, tanto é que São Francisco de Assis, com o intuito de evangelizar montou o primeiro presépio vivo em 1223. Sigamos os passos desse nosso espelho de Catequista. Beijo grande!
Imaculada

(Na foto Tais, minha filha amada, na época, com  seus 13 pra 14 anos e Danilo Andrade, meu Boi preferido...)

O BOI E O BURRO A CAMINHO DE BELÉM.

CENA 1
(Surgem o Boi e o Burro, ao ritmo da música(Berceuse) dançando, descontraídos) e examinando o ambiente. Ao terminar a música, eles se colocam de cada lado do palco)
BOI: Muuuuuu!!! (mugindo).
BURRO: Hiiiiiiiii!!! (relinchando).
BOI: Burro, ei Burro. Você está notando qualquer coisa hoje?
BURRO: Não estou notando nada, não, Boi!
BOI: Você é mesmo muito burro, hein amigo? Então não está vendo que tudo está meio mudado?
BURRO: (cheirando o ar). É verdade, amigo Boi. Tudo cheira diferente por estas bandas (cheirando com barulho).
BOI: (olhando o céu). E nunca o céu esteve tão estrelado, tão perto! (continua olhando o céu, e o Burro faz o mesmo).
BURRO: Não é que é verdade, amigo Boi, não é que é verdade? Sou mesmo muito burro... não tinha notado antes. Está tudo muito esquisito!(mudando de tom e olhando assustado para o Boi). Será que o mundo vai acabar, hem, Boi?
BOI: Talvez comece um outro mundo!
BURRO: (triste): E nós? Haverá pastagens para nós dois no outro mundo?
BOI: Sei não! (Enquanto isso, mais um susto...)

CENA 2:
(Entra a estrela de Belém, lentamente aos som de uma música natalina. Ela segura uma grande estrela de papelão nas mãos. O Boi e o Burro vão seguindo a estrela com os olhos)
BOI: Éhhhhh... esse lugar que era quieto, silencioso... agora...  (Ouve-se a flauta do Pastor. O Boi e o Burro olham espantados para o Pastor que toca a flauta de bambu, olhando para o céu).
PASTOR: (Já no palco parando de tocar olhando para o céu). Oh! (nesse momento a estrela de Belém fixa a estrela de papelão bem em cima do estábulo e sai de cena)
BURRO: (Seguindo o olhar do Pastor). Oh!
BOI: (idem).
PASTOR: A estrela parou.
BURRO: Parou.
BOI: Bem em cima.
OS DOIS: ... do nosso estábulo.
PASTOR: (Sempre fitando a estrela).  Grande como um girassol!
BURRO: Única no céu distante!
BOI:  Com o brilho de mil estrelas...
OS TRÊS: Nunca se viu outra igual!
BOI: (Aflito). Pastor, explica! Explica por que a estrela parou bem em cima do nosso estábulo!?
PASTOR: Mistério! Mistério, amigo Boi. Mistério que um pobre pastor não pode desvendar.
BOI: Nem eu...
BURRO: (Triste). Nem eu...
(O Pastor recomeça a tocar a flauta e sai dando uma volta por trás do estábulo, desaparecendo pela esquerda, ao fundo).
BOI: (Muito aflito, e ainda olhando para o céu). Burro! Ei burro!
BURRO: Que é boi?
BOI: (Aproximando-se bem do Burro, e falando quase em segredo). Estou muito desconfiado.
BURRO: De que Boi?
BOI: (Cheio de mistério). De que ele vai nascer aqui.
BURRO: (Escandalizado). Nem digo isto, Boi. Numa estrebaria tão suja. Tão pobre.
BOI: Então por que tudo isto? Por que a estrela parou bem em cima?...
BURRO: (Rápido). A estrela deve ter se enganado.
BOI: (Correndo o estábulo). E este cheiro tão doce por toda a parte...
BURRO: (Chegando para a cesta de capim encostada ao estábulo). Até o capim nosso de cada dia, cheira bem hoje...
(Corre  e diz à platéia, assustado). Onde já se viu isto? Pensar que ele ia nascer aqui... (Dá um salto, indo para o meio da cena, e indo nervosamente).
BURRO: (Assustado com a explosão do Boi, e segurando-o). Fica quieto, Boi. É bom irmos arrumando as coisas por aqui! (pega uma vassoura) Vamos fazer uma limpezinha, porque no caso de acontecer...
BOI: É mesmo (pega um pano e começa a limpar tudo, inclusive o rabo do burro e a própria cara) Vou buscar palha seca e fofa! (Eles saem e tornam a voltar segurando um pouco de palha. Cada um puxa a palha para seu lado e brigam)
BURRO: NÃO empurra, sou eu que arrumo!
BOI: Sou eu Burro, Sou eu! Saia Sou eu que quero arrumar a palhinha para o Menino!

CENA 3 – ANJOS
(Ouvem-se vários sininhos que vão aumentando de volume. Entram os anjinhos. Um, segurando uma vassoura prateada e bailando, vai varrendo a cena. O segundo carrega um jarro de água e o terceiro, uma bacia. Eles se encontram no meio do palco e o segundo anjo despeja água na bacia que é colocada perto da manjedoura. Dois outros, pegam as palhas espalhadas pelo Boi e pelo Burro, arrumando-as na manjedoura. O primeiro e o segundo anjos trazem uma toalhinha branca e colocam-na sobre as palhas. O terceiro anjo entra com um turíbulo, incensando todo o ambiente, inclusive o Boi e o Burro. Os anjinhos entram e saem num movimento contínuo e na ponta dos pés, como se dançassem. Durante toda a cena, os animais ficam estarrecidos, parados, um de cada lado, do palco. Quando o último anjinho sai, cessam os sininhos e o boi e o burro aproximam-se do estábulo)

CENA 4
( O boi e o burro observam a transformação do ambiente)
BURRO: Eles vieram arrumar...
BOI: Tudo está tão limpinho...
BURRO: (Desconsolado, dirige-se para a platéia e encosta a cabeça em algum lugar, como se estivesse chorando)
BOI: O que é burro?
BURRO: E nós, pobres bichos, que queríamos fazer este trabalho...
BOI: (triste): Quanta pretensão!
BURRO: Não percebemos que isto era trabalho para anjos e não para um boi babento...
BOI: Nem para um burro sujo
BURRO: (conciliador) Deixa pra lá, Boi! Não vamos brigar hoje. (aproximando-se do estábulo) Tudo está pronto!
BOI: Só falta acontecer... E só nós dois aqui...
BURRO: Um burro!
BOI: um boi!
OS DOIS: Pra tamanho acontecimento!

CENA 05MARIA E JOSÉ
(Ao som de uma musica, entram  José e Maria, este levando Jesus debaixo do manto invisível, enquanto caminham até o palco – Música baixa, enquanto o Burro e o Boi falam).
BOI: Oh!
BURRO: Oh!
BOI: (Ternamente, mas solene). Lá vem Maria lentamente carregando o mistério.
BURRO: Parece leve como a brisa.
BOI: Parece uma gota no capim da manhã.
BURRO: Lá vem José.
(Quando José e Maria chegam bem perto do estábulo, aumenta-se o volume da música. Quando entram no estábulo, cessa a música e sinhôs começam a soar. Os anjinhos chegam na ponta dos pés e, sempre bailando, fazem um círculo em torno de Maria. Eles escondem Maria que, de costas para o público, coloca o Menino Jesus na Manjedoura. Os anjinhos continuam a dançar, enquanto Maria e José se colocam na posição clássica do presépio. Ela ajoelhada e ele, no outro lado, de pé, apoiado no cajado. Os anjinhos vão se afastando e saem, sempre dançando. Um foco de luz cai sobre o Menino. Música durante toda a cena. O Boi e o Burro ficam num canto, só assistindo)

CENA 06
(O boi e o Burro aproximam-se na ponta dos pés)
BOI: Que maravilha!
BURRO: (puxando o Boi) Não se aproxime tanto! Não é bom que ele veja logo nossas caras feias...
BOI: Tem razão! Ele pode se assustar! (Maria sorri para eles)
BURRO: (Emocionado): A mãe dele está sorrindo!
BOI: Pra quem? Para nós dois?
BURRO: Éééé´! Só pode ser pra nós dois?! (Eles começam a pular de alegria. Maria sorri de novo e eles vão se aproximando com cuidado)
BOI: Acho que ele ta com frio??
BURRO:  Pois então, aqueça ele com seu bafo quente neh Boi!
BOI: (experimentando o bafo na mão) Boa idéia, Burro. Até que você ficou menos burro!
BURRO: E eu, com meu rabo, espanto as moscas
(Eles dirigem-se para a platéia e diz)
BOI: Nunca imaginei ser mais do que um boi!
BURRO: E eu então? Tão burro... Tão burro... Nunca imaginei... Nós dois, um boi e um burro, ligados para sempre ao mistério.

CENA 07
(O boi e o burro afastam-se lentamente até se colocarem nas posições clássicas do presépio, cada um de um lado, atrás do Menino Jesus. Ao som de NOITE FELIZ, pastores e pastoras, entram pelo meio do teatro, depois, os reis magos com seus presentes. Todos se ajoelham para adorar o Menino. O público pode ser orientado com antecedência para também trazer suas ofertas, que serão colocadas num cesto à frente do presépio vivo e, mais tarde doadas a  irmãos carentes.)

(Essa peça é uma adaptação da obra e Maria clara Machado. O texto original encontra-se no livro Teatro I da coleção “teatro” – editora Agir)
Personagens: Boi, Burro, estrela, Cinco anjinhos, Maria, José ,Três Reis Magos, Pastor.

*************************************************************

Veja um pouco da História dessa peça...

“O Boi e o Burro a Caminho de Belém”, texto de Maria Clara Machado.

Escrita em 1953, a peça é a estreia da autora escrevendo para o público infantil. O auto de natal, pensado, a princípio, para o teatro de bonecos, acabou adaptado para ser interpretado por atores. As melodias natalinas, sugeridas pela própria autora, marcam seu interesse em dar à música um papel de destaque em suas peças.

Montagem da peça em 1953 (Foto: Divulgação)

“O Boi e o Burro a Caminho de Belém” narra a história do nascimento de Jesus Cristo pelo ponto de vista do Boi e do Burro, duas personagens que estão presentes no tradicional presépio. Empregando uma linguagem simples, a dramaturga supõe como teria sido a separação do estábulo e como o nascimento do Filho de Deus fez com que o mundo se preparasse para recebê-lo.

Personagens reais e fictícios, como pastoras, reis magos, rainhas magas, anjos, o povo e a Estrela se misturam à frente dos dois animais, até que, com a chegada de Maria, José e do menino Jesus, a montagem de um presépio vivo se completa. 

A peça foi encenada pela primeira vez, em 1953, pela própria Maria Clara – com O Tablado, grupo fundado por ela em 1951 –, no Rio de Janeiro. Desse ano em diante, o espetáculo seria apresentado em 1954, 1957, 1959, sob a sua direção e basicamente com a mesma equipe.

Uma quinta versão da montagem foi realizada, então, em 1971, apresentada cerca de 20 vezes, para um público total de mais de 3.000 espectadores. O êxito se repetiria durante muitos anos: 1973, 1974, 1986, 1991 e 1992, sempre com direção de Maria Clara.

Em 2001, ano do falecimento da autora, “O Boi e o Burro no Caminho de Belém” foi encenado por Bernardo Jablonski, que já participava das montagens desde 1971, no elenco ou como assistente de produção e de direção.

Nestes últimos 10 anos, a tradição de montar este espetáculo prosseguiu e continua cada vez mais forte.

Ao que parece, o Natal no País, ou pelo menos no que diz respeito ao teatro brasileiro, não seria o mesmo sem essa peça, que já está enraizada na cultural teatral nacional e deve continuar espalhando, por um bom tempo, o espírito dessa época tão singular.
Texto: Felipe Del


sábado, 27 de outubro de 2012

Estar à serviço...

O que Deus queria de mim na noite de ontem, na tão esperada noite do II Incendeia.
Eu, Imaculada queria ser "Maria" e ficar aos  pés do Senhor...
Queria naquela noite e já havia me preparado pra isso, queria apenas receber, beber da fonte...
E lá fui com meu coração aberto para entregar um monte de coisas...
Porém, não era isso que Deus tinha pra mim...
Queria que eu fosse "Marta" e que  naquela noite, continuasse na lida...
Nada de descanso...
"Imaculada, posso te pedir um grande favor, temos muitas crianças no "Incendeia kids" e poucos monitores, será que depois que você tirar algumas fotos, você poderia nos ajudar?" (fui preparada para fotografar todo evento.srrs)
Pensei em fazer-me de surda...
Fui  onde estavam as crianças, numa olhadela rápida e voltei para o salão...
Sentei-me e parecia ter espinho naquela cadeira, senti que Deus não me queria de fotógrafa e nem de ouvinte...
Desci novamente e encontrei uma criança bem pequena em prantos, pedindo pela mãe...
Peguei-a no colo, enxuguei as lágrimas e já estava levando ele para o salão para devolver à mãe, quando resolvi tentar distraí-lo...
"Nossa, tem um monte de brinquedo legal naquela sala, papel pra gente desenhar, o que você acha de ficarmos aqui, daqui um pouco te levo pra sua mãe..."
Entusiasmado acenou que sim e nem quis mais saber de mãe alguma...
Quando entramos na sala e começamos a desenhar, observei um garoto de uns 04 a 05 anos brincando no chão... Era um garoto que precisava de uma atenção especial...
Fiz sinal que viesse desenhar com a gente, ajeitei uma cadeira, o coloquei sentado ao meu lado...
Naquela noite, onde eu havia feito meus planos, Deus me queria tomando conta do "Miguel", para que sua mãe pudesse estar aos pés do Senhor...
Quando tudo terminou, não sai de lá como se tivesse perdido o II Incendeia, sai feliz, com o coração em paz, por ter servido na simplicidade...
Tenho certeza que Jesus a quem eu queria ter ficado aos seus pés, esteve presente em cada segundo, enquanto brincava com seus pequeninos...
Entendamos, devemos nos colocar nas mãos de Deus e deixar que Ele conduza tudo...
Nesse e em todo encontro, os que estão à serviço, ninguém é melhor que ninguém, aquele que prega, aquele que prepara o café, que faz a limpeza, que cuida das crianças, tem o mesmo valor para Deus... E Jesus nos mostra isso, quando Ele sendo Deus, lava os pés de seus discípulos...
Essa coisa de "cargos" dentro da Igreja, é coisa do humano...
PLanos...
Acho até que no próximo Incendeia, podemos organizar uma 'oficina de evangelização' para essas crianças...

Confira as poucas fotos que tirei...

video



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Venha participar conosco do II Incendeia, aqui na Capelinha!!


Na correria do dia-a-dia, e até mesmo em nosso ministério, não encontramos tempo para nos reabastecer através da oração. Enfim, temos muita dificuldades em estar aos pés do Senhor. Ficar ali, quietinho, só adorando, sentindo sua presença.
Nós, aqui da minha paróquia teremos essa oportunidade nessa sexta feira. Quero através dessa postagem convidar aqueles que porventura moram nas redondezas de Franca. Posso garantir, que será uma noite maravilhosa. Não percam! Venham viver momentos em comunidade, fortalecendo nossa espiritualidade.


Desde já, quero parabenizar o Danilo, esse jovem lindo por dentro e por fora, nosso querido e eterno catequizando, desde pequenino sempre atuante e hoje vemos os frutos dessa permanência na comunidade. A primeira noite "Incendeia" foi uma benção e com certeza essa também será. Esse é nosso objetivo na catequese, fazer com que nossos catequizandos se encontrem com o SENHOR, se encantem por Ele e depois façam com que outros também se encatem. Beijo grande Danilo e  à todos os que estão trabalhando para que essa noite aconteça. Nessa sexta-feira, todos nós ficaremos embriagados, não pela tradicional cervejinha de sexta, mas embriagados pelo Espírito Santo de Deus... E vamos botar fogo naquele lugar!!

II Noite Incendeia Minha Alma acontece nesta sexta-feira, 26 a partir das 20hs, na paróquia Nossa Senhora Aparecida (Capelinha) Franca-SP.

A Noite Incendeia Minha Alma busca levar a comunidade, a um reavivamento constante na fé, na perseverança da oração, realizando o constante pentecostes que inicia e move toda a Igreja, por meio da oração e da adoração a Jesus Eucarístico, permitindo um compromisso com a comunidade e a Igreja pelo sinal de Amor, esta expressão infinita de Deus por nós, a começar pela graça da Cruz. Encontrar-se junto com a comunidade, assim como fez Maria no Pentecostes, manifestando de forma clara que cremos que Jesus é Deus, que Ele é o nosso Senhor, o Centro das nossas Vidas, e que nós o adoramos e a ele prestamos culto. Buscar a oração, sendo ela o meio para estarmos diante de Deus para ouvi-lo, para partilhar com Ele nossas preocupações e ocupações. E como sendo nós, seres de permanente processo de aprendizado, experimentar essa necessidade de voltar à comunhão com Deus, pedindo a graça de voltarmos também para nossos irmãos. Pois antes de louvarmos a Deus, precisamos ser justos com o próximo.

Neste ano teremos a presença de Frei Hélton Pimenta que fará uma pregação sobre “Chagas de Cristo Misericórdia Infinita” e Frei Mauro Oliveira que Conduzirá a Adoração ao Santissimo, que será o centro de toda a Noite.
Estamos trabalhando com 15 Equipes, e duas novas atrações, o Incendeia Kids que é uma área para as Crianças que vêm acompanhadas dos Pais, e a área de alimentação que no final da Noite recepcionará os Fiéis.

Danilo Andrade
(Coordenador Geral)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Recordando e homenageando...

Amanhã, é aniversário do Jonathan Cruz, uma pessoa a quem tenho o maior carinho... Somos conquistados e conquistamos... Ele me conquistou e tem minha amizade, mesmo que seja nesse meio virtual, mas alimento uma esperança enorme de ir até sua cidade, conhecer sua realidade mais de perto e quem sabe poder ajudar de alguma forma... De repente se esse sonho não for só meu, ele acontecerá, pois sonho que não se sonha sozinho, se torna realidade... Então, Jonathan enquanto trabalhamos, vamos sonhar!!
Jonathan, enquanto sonha, veja essa pequena homenagem:


video


Buscando não sei o que no google, cheguei nessa entrevista feita por ele, tempos atrás... Pra quem está chegando  na minha vida, veja! Fiz algumas pequenas alterações...

************************************
1 -NOME:Imaculada Conceição Cintra Oliveira (Não sou digna de carregar esse nome)

2-DATA NASCIMENTO: 10.05.67 (44 anos bem vividos)... ops, hoje tenho 4.5

3-COR FAVORITA: Branco pra roupa, mas no geral gosto do verde, do amarelo. (não tenho uma favorita, sou bem arco-íris)

3-ESTILO DE MÚSICA: Nem ouso colocar um, gosto daquela que fala ao meu coração dependendo do meu estado de espírito... Prefiro as vozes fortes, decididas, não gosto de vozes melosas... Amo as músicas anos 60, 70...Gosto de músicas raízes, pois tem letras expressivas, ricas... Religiosas, gosto da Maria do Rosário, Adriana...

4-ESTILO DE FILME : Aventura, romance...

5-LIVRO PREFERIDO:Os de catequese (srsrrs). No momento estou lendo ‘Não nascemos prontos! Provocações filosóficas” de Sérgio Cortela... Não tenho um livro preferido... APRENDI A GOSTAR DA LEITURA, por causa da catequese. Sou compulsiva por livros...
Tenho o maior cíumes deles, odeio quando empresto e não me devolvem...

6-FRASE PREFERIDA: HOJE, sou a minha mais nova edição, revista e ampliada.

7-SUA MAIOR QUALIDADE: Confiar nas pessoas

8-SEU MAIOR DEFEITO:Confiar nas pessoas

9-DEIXE AQUI SEU BLOG: www.imaculadacintra.blogspot.com – Sou CATEQUISTA de Iniciação à Vida Cristã

10-QUAL O BLOG QUE VOCÊ ACESSA TODO DIA, SEM SER O SEU É CLARO: Todos os blogs ATUALIZADOS da minha lista.

11-Ser catequista foi uma vocação que nasceu contigo ou foi incutido na tua educação para que quando crescesses o seres? Acredito que quando ainda no ventre da minha mãe, o dedo de Deus já estava apontado pra mim dizendo: “Esta será uma catequista, briguenta, emburrada, dedicada, zeloza, decidida (nem tanto, sou meio medrosa, quase sempre preciso ser empurrada)...srrsr”. Claro que a educação que tive, mostrou os caminhos que Deus tinha para mim, nasci e cresci numa família, onde a prioridade sempre foi as coisas de Deus.

12-Para ti o que é ser catequista? E quais os teus objetivos como tal?
Ser catequista é meu sentido de viver! Meu objetivo é fazer Cristo conhecido, amado e seguido, é ajudar, animar, orientar a quem Deus colocar no meu caminho...

13-Gostarias que os pais dos CATEQUIZANDOS da catequese participassem mais na Igreja?
Sim, gostaria, esse é o desejo de todos os catequistas. Mas vejo que a catequese é o momento oportuno para a família voltar para a Igreja.

14- O que você ainda não fez na catequese e pretende fazer ainda?
Trabalhar com adultos. Fiz um trabalho por cinco anos com 13 famílias e foi um período de evangelização, porém, nunca acompanhei uma turma na catequese. Mas, meu coração bate forte, mas muito forte pelos pequenos... Que Deus me conduza!

15-Quando se tornou catequista qual era a meta principal que você queria atingir?
Acho que quando comecei, nem tinha noção de meta. Comecei com minha irmã e folgava o tempo todo nela. Só cresci quando assumi uma turma. Minha meta á partir daí foi cada dia ser uma catequista melhor... Mesmo depois de 17 anos, ainda estou nessa luta... Nunca me acho devidamente preparada para tal missão...

16- Você está satisfeita com sua caminhada na catequese? Ou ainda falta algo pra você?
Olha Jonathan, posso afirmar que estou na minha melhor fase na catequese, pois vejo que as coisas estão caminhando, que os catequistas estão mais conscientes, que a catequese está sendo mais valorizada...  Mas, sempre nos falta algo, por exemplo, aqui, não temos ainda um diretório diocesano de catequese, nem uma escola diocesana para catequistas...

17-Como você tem costume de preparar seus encontros de catequese?
Nos reunimos toda segunda feira á noite com os catequistas para trocar idéias,materiais,dar dicas de como montar e trabalhar o encontro... Depois, me preparo individualmente, eu, meus livros, o texto bíblico e meu parceiro inseparável, o Espírito Santo...


18-Como consegue conciliar sua vida privada à catequese?
È complicado, porque quero participar de tudo que tem sobre catequese, e às vezes isso me causa problemas em casa... Nesse final de semana mesmo fui para o Sulão e assim que cheguei, minha irmã me liga dizendo: “Puxa, nos reunimos todos os irmãos, e de novo só faltou você...” Confesso que meu coração doeu, mas quando a causa é nobre, vale a pena as renuncias...Na verdade, não tenho limites, quando o assunto é catequese, quero sempre mais e mais e mais...

************************



Use seu dom da palavra e deixe uma mensagem para nós blogueiros:


Querido Catequista Blogueiro, ou não,

Não deixe que nada, nem ninguém nessa vida o afaste de sua missão.
 Repito: Nada, nem ninguém. 
Errou, assuma seus erros e carregue na bagagem as consequências. 
Não culpe a ninguém pelo seu erro. 
Ouse coisas novas, percorra caminhos antes nunca percorrido com coragem e determinação. Use de humildade, estamos a serviço.
 Perdoe uma, duas, três, mil vezes se for preciso. 
Ame, ame, ame...
 Acredite mais em seu potencial.
 Seja sempre alegre, sorridente, bem humorado, brinque, pule, corra, deite no chão, permita-se ser criança. 
Tenha um olhar no alto, mas não viva nas nuvens, encare a realidade com maturidade, fé  e muita esperança.
Encante-se por aquilo que faz e por aquele a quem servimos.

Pra terminar,
 hoje sou mais apaixonada pela catequese que ontem, e amanhã serei mais que hoje.

SOU FELIZ POR SER CATEQUISTA E O SEREI ATÉ O FIM DOS MEUS DIAS..

PROVAÇÕES?

Tenho aos montes e vou dando um olé a cada uma.

Beijo no coração de cada um de vocês!

Imaculada Cintra

Catequista por vocação, decisão e paixão!