terça-feira, 17 de abril de 2012

Lindo! Lindo!

Achei profunda essa poesia de santa Teresa, tanto que tive vontade de conhecer um pouco da história dessa santa. Linda sua conversão. Nunca é tarde para 'nascer para o alto'... e o Espírito sopra onde quer, quando a gente menos espera a graça acontece... A nós, cabe rezar sempre por nossa  e  pela conversão daquelas pessoas que ainda não tiveram seu encontro com Cristo! Muitos são os 'Nicodemos': "Como posso ser velho e nascer de novo???"
Bom dia! 
Imaculada Cintra

 «A fim de que todo o que n'Ele crê tenha a vida eterna» 

Meu Senhor e meu Deus,


Tu me guiaste por um longo e obscuro caminho, pedregoso e duro.


Estava quase já sem forças, tanto que não esperava mais ver a luz do dia.


O meu coração estava duro como pedra devido ao sofrimento.


Quando, diante dos meus olhos, se levantou a claridade suave duma estrela.


E me guiou, fiel, e eu segui-a, primeiro com passos tímidos, depois mais seguros.


E cheguei por fim à porta da Igreja,


Que se abriu, e pedi para entrar.


Fui acolhida pela Tua bênção proferida pelo Teu sacerdote.


No seu interior sucedem-se as estrelas,  


Estrelas de flores vermelhas que me indicam o caminho até Ti,


Que a Tua bondade permite que me conduzam no meu caminho até Ti.


O mistério que me faltava guardar, escondido no íntimo do coração,


Agora posso finalmente anunciá-lo em alta voz:


Eu creio, e confesso a minha fé!


O sacerdote conduz-me aos degraus do altar,


Inclino a cabeça, e a água santa escorre pela fronte abaixo.




Senhor, será possível renascer uma vez passada metade da vida (Jo 3,4)?


Assim o disseste, e para mim tornou-se realidade.


Já não sinto o peso das faltas e das minhas penas dessa vida longa.


De pé, recebi sobre os ombros o manto branco,


Símbolo luminoso da pureza.


Trouxe à mão o círio cuja chama anuncia a Tua vida santa a brilhar em mim.


E o meu coração transformou-se na manjedoura que por Ti espera.


Por pouco tempo!


Maria, Tua Mãe, e também minha, deu-me o nome.


À meia-noite depõe no meu coração o seu bebé, recém-nascido.


Oh! Não há coração humano que possa imaginar


O que Tu preparas para aqueles que Te amam (1Cor 2,9).


És meu para sempre e nunca Te deixarei.


Seja qual for o caminho que venha a trilhar estás sempre comigo.


E nada mais poderá separar-me do Teu amor (Rm 8,39).



Santa Teresa Benedita da Cruz (1891-1942), carmelita, mártir, co-padroeira da Europa


Poesia «Noite Santa»  

Fonte: Evangelho Quotidiano

3 comentários:

  1. Lindo, isso não é somente uma poesia como uma oração também. rsrsrs

    Tudo que eu precisava ler hoje.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito importante!
Não conseguiu comentar?? Calma, não saia ainda, escolha e opção ANÔNIMO e não esqueça de se identificar no final de sua mensagem!
Viu só, que fácil! Volte sempre!