sexta-feira, 7 de outubro de 2011

´Olhando com os olhos de Deus!

Verdade! Não podemos mudar o mundo, mas podemos dar um vestido azul!
Às vezes, olhamos determinada situação e achamos que nada do que fizermos, fará diferença e pensamos:  melhor nem mexer.  Vamos tocando, fingindo, disfarçando, como se o 'tal' problema fosse sempre de responsabilidade do outro.
Por exemplo, as crianças "problemáticas" que são colocadas em nossa turma de catequese. Como elas nos incomodam neh! Como reclamamos desse "patinho feio"! Sim, pois muitos os olham como o patinho feio, como aquele que está destoado dos demais.
E você, querido catequista, como lida com a presença de uma criança assim, dita e olhada como "diferente". Com que olhos os vê? Com os seus ou com os olhos de Deus?
Feliz o catequista presenteado com um caso assim, é Deus te dando a oportunidade de fazer a sua parte, de amenizar, quem sabe até mudar a realidade dessa criança, ou dessas crianças!
Estou refletindo sobre isso, pois tenho recebido presentes assim, que estou amando, cuidando com todo meu amor. E sei que não estou sozinha!
O "vestido azul", às vezes é amar, mostrar que são crianças dignas como todas as outras, que são amadas por Deus...
O "vestido azul"´é você conhecer a realidade desse catequizando, sua história de vida e tentar dar um rumo diferente, iluminando!
Deus nunca nos coloca um fardo, que nossos ombros não possa carregar!


A MENINA DO VESTIDO AZUL

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita.

Acontece que essa menina freqüentava as aulas da escolinha local no mais lamentável estado: suas roupas eram tão velhas que seu professor resolveu dar-lhe um vestido novo.

Assim raciocinou o mestre: "é uma pena que uma aluna tão encantadora venha às aulas desarrumada desse jeito. Talvez, com algum sacrifício, eu pudesse comprar para ela um vestido azul."

Quando a garota ganhou a roupa nova, sua mãe não achou razoável que, com aquele traje tão bonito, a filha continuasse a ir ao colégio suja como sempre, e começou a dar-lhe banho todos os dias, antes das aulas.

Ao fim de uma semana, disse o pai:

"Mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more num lugar como este, caindo aos pedaços? Que tal você ajeitar um pouco a casa, enquanto eu, nas horas vagas, vou dando uma pintura nas paredes, consertando a cerca, plantando um jardim?"

E assim fez o humilde casal.

Até que sua casa ficou muito mais bonita que todas as casas da rua e os vizinhos se envergonharam e se puseram também a reformar suas residências.

Desse modo, todo o bairro melhorava a olhos vistos, quando por isso passou um político que, bem impressionado, disse:

"É lamentável que gente tão esforçada não receba nenhuma ajuda do governo".

E dali saiu para ir falar com o prefeito, que o autorizou a organizar uma comissão para estudar que melhoramentos eram necessários ao bairro.

Dessa primeira comissão surgiram muitas outras e hoje, por todo o país, elas ajudaram os bairros pobres a se reconstruírem.

E pensar que tudo começou com um vestido azul.

Não era intenção daquele simples professor consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse os bairros abandonados de todo o país.

Mas ele fez o que podia, ele deu a sua parte, ele fez o primeiro movimento, do qual se desencadeou toda aquela transformação. É difícil reconstruir um bairro, mas é possível dar um vestido azul.



7 comentários:

  1. Oi...bom dia,ADORO essa estória.Pois ela serve para qualquer situação de nossa vida,de maneira especial em nossa caminhada catequética.bjs

    Ângela Rita

    ResponderExcluir
  2. BOM DIA AMIGA, NÃO PODEMOS MUDAR O MUNDO MAS PODEMOS COM CERTAZ DEIXAR A NOSSA MARQUINHA.OLHA SOBRE AQUELE TERÇO DE FLORES SE AINDA TIVER O MOLDE ME MANDA POR E-MAIL. VOU FICAR FELIZ, MESMO QUE ESTEJA SUJINHO, NÃO IMPORTA. ELAS ADORARAM A SUGESTÃO, VAMOS JUNTAR AS TURMINHAS PARA FAZER COM TODAS AS CRIANÇAS.BEIJUS E UM ÓTIMO E ABENÇOADO FIM DE SEMANA, EU VOU COMEÇAR A TRABALHAR NA NOSSA FESTA DAS FLORES QUE COMEÇA HOJE A NOITE.

    ResponderExcluir
  3. Oi Imaculada querida!

    Eu também tenho duas crianças que me foram "repassadas"... e eu as amo e elas me ajudam muito.
    O engraçado é que quando comentamos que elas não estão dando o trabalho que davam em outras turmas, duvidam...

    Olha eu não sei o que é mas também quero o que a Cris te pediu...rsrsrs

    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  4. Sandra - Diocese de Jundiaí7 de outubro de 2011 14:09

    Olá, flor!
    Parece que você fez esta postagem pensando em mim...
    Você bem sabe que não tenho somente um "patinho feio" mas vários...
    No início do ano, quando me vi diante deste desafio quase abandonei tudo... chegou uma hora em que falei para a coordenadora "no segundo semestre eu estou fora da catequese", mas Deus não permitiu que isso acontecesse... eu agradeço à Ele por isso...
    Hoje entendi que não são as crianças que precisam de mim e sim eu que preciso delas.
    Deus me fez compreender que quem faz a obra é Ele, eu sou somente um instrumento... me fez aprender que é preciso viver um encontro por vez... me fez repensar o que é ser catequista... me fez entender que precisava ser humilde e reconhecer que tinha que buscar ajuda... (e tantas pessoas me ajudaram, inclusive você com suas palavras de força e coragem).
    Aprendi que os "patinhos feios" não são feios, são diamantes que precisam ser lapidados e isso só conseguimos se tivermos a presença de Deus junto de nós.

    Beijos no coração

    ResponderExcluir
  5. Verdade! são diamantes brutos, que depois de lapidados, brilhará como nenhum outro... Sabe, Sandra, tenho um diamantinho assim "brutinho", ela tem o vício de pedir dinheiro na rua, e tb nas missas...incomodam a todos e ninguém faz nada... está na catequese agora, comigo... e nessa quarta, quando ela chegou na catequese disse: "Imaculada, olha, eu não vou mais pedir dinheiro1"srrsrs
    Fiquei tão feliz, como se tivesse ganhado o melhor e mais caro presente... abracei e beijei tanto aquela menina e disse a ela: Eu sempre acreditei em você...sempre soube que vc pararia de pedir dinheiro...Deus te ama muito, muito, muito!"" Sinto que está sendo lapidada e estou feliz com isso!! e não vou desistir dela nunca... deles neh,porque são 04... srrsrs

    ResponderExcluir
  6. É Imaculada, acho que todas nós vivemos isto, sempre tenho algum catequizando abençoado. Mas eles fazem a diferença; nos surpreendem sempre, nos emocionam e com certeza saem modificados e vice versa, quero sempre tê-los comigo. Que o Espírito Santo te ilumine para nos prestigiar com esses textos magníficos, bjos Shenia.

    ResponderExcluir
  7. Oi,querida! Que historinha linda e tocante. Que bom seria se cada pessoa se conscientizasse que suas atitudes podem fazer a diferença na vida de uma comunidade!
    Que Deus a ilumine sempre mais!
    Abraços carinhosos

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito importante!
Não conseguiu comentar?? Calma, não saia ainda, escolha e opção ANÔNIMO e não esqueça de se identificar no final de sua mensagem!
Viu só, que fácil! Volte sempre!