domingo, 5 de junho de 2016

PROFEquistas... Até quando?

PROFEquistas são catequistas que agem como professores.

Me sinto repetitiva em escrever sobre certos assuntos, porém quando vejo certas coisas acontecendo tão perto de mim, me certifico que precisamos bater na mesma tecla até que aconteça uma mudança de mentalidade por parte de nossos amados catequistas.

Não estou aqui pra jogar pedras, pois quero pensar que, se ainda a  catequese em muitas paróquias  acontece nos moldes de uma aula seja porque a formação ainda não chegou à todos.
E de repente nem seja em toda  paróquia, mas em algumas turmas, onde o catequista nunca participa das formações oferecidas.

O que dizer quando chega aos meus ouvidos que um catequista ainda faz avaliação na catequese de forma escrita, com direito a nota e tudo. Chamada oral de orações com direitos a castigos/punições para aqueles que tropeçaram em algum momento em alguma oração. Escrever 10 vezes o CREDO, a Ave-Maria, O Pai-nosso e a oração do Espírito Santo. Sim, pasmem, 10 vezes cada...Acho que nem na escola se faz algo do tipo.

Para essa profequistas eu passaria para escrever 40 vezes: "CATEQUESE não é escola, catequista não é professor, catequizando não é aluno. Catequese é lugar onde ressoa a mensagem, onde se promove o encontro com Cristo Vivo".

Gente, temos tantas maneiras de "avaliar", desenvolver nossos encontros. As orações, eles aprendem rezando. Não adianta essa agonia de querer que eles decorem todas as orações pelo fato de estarem se aproximando da recepção da Primeira Eucaristia. Isso é tortura e só serve para traumatizar os catequizandos.

O que se fez em dois anos de caminhada, que não rezou com eles, que não envolveu os pais para que rezem com eles em casa. Eles não precisam estar prontos por conta do sacramento da Eucaristia, pois o processo de amadurecimento na fé, o itinerário catequético continua. Ou não???

A catequese vista como um processo contínuo? Uhmmmm! Isso é outro desafio. Ainda é forte em muitos catequese para receber sacramentos, em especial da eucaristia.

Me dói ouvir de crianças dóceis coisas do tipo: Minha catequese é chata/não tenho vontade de ir/ não quero continuar/ minha 'professora' enche a lousa  e a gente nem copiou, ela apaga tudo e começa de novo. A catequese vista como um fardo nunca que chega ao coração. Essa punição de escrever 10 vezes cada oração nunca que vai sair do coração de uma criança. Nunca! Assim será lembrada essa catequista. "Professora"chata!

Desescolarizar a catequese, já!!
 

Um comentário:

  1. Nossa que verdade tudo isto. Gostei do termo usado "profequista"...
    Infelizmente existe muitas assim...em minha paróquia existe algumas e o pior que fazem formações e parece que não compreende que a catequese mudou, tenho muita dó das crianças.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito importante!
Não conseguiu comentar?? Calma, não saia ainda, escolha e opção ANÔNIMO e não esqueça de se identificar no final de sua mensagem!
Viu só, que fácil! Volte sempre!